Reestruturação BB… o Retorno

Terminado o primeiro semestre, tem reinício a temporada de boatos: Reestruturação BB… o Retorno.

concurso BB

Na quinta-feira, 29 de junho, aconteceu um encontro de Diretores, Executivos e Superintendentes do Banco do Brasil… um encontro assim às vésperas do fechamento das metas do semestre (que ocorreu ontem, 30/06), é, no mínimo, para chamar a atenção.

E foi o suficiente para que a nova rodada de boatos se instalasse… aliás, esses boatos vem vindo desde a primeira onda da reestruturação, em novembro do ano passado.

Alguns (a maioria) dos boatos foram confirmados com o passar dos meses, e outros ainda estão aguardando na fila para aparecerem… e agora parece que a coisa vai.

Prá quem não trabalha no BB, não deve ser muito fácil imaginar o que são os dias que antecedem o final do semestre… os últimos dias para fechar o Conexão (que é o programa de metas do BB)… todo mundo com o sistema muito nervoso… corre prá cá, oferece prá lá… se descabela, chora… e depois relaxa e espera a divulgação do resultado.

Os primeiros dias do novo semestre são os mais tranquilos, afinal faltam 6 meses prá loucura de novo… então, é nesses primeiros dias do novo semestre (que começa hoje), que o pessoal está mais descontraído… alguns aproveitam as férias das crianças prá sair em férias também, e dar uma relaxada antes de voltar prá ajudar a carregar o piano, e os que ficam acham que o piano até ficou mais leve.

Pois parece que é exatamente nesses primeiros dias do semestre que a nova onda da reestruturação chega, prá colocar mais algumas toneladas sobre o piano.

O clima dentro do banco já não é dos melhores… centenas de funcionários que perderam suas cadeiras, seus cargos e seus salários… e não conseguem recuperar… e agora, mais confusão pela frente.

Tá, tudo explicado… poucas novidades no cenário passado… mas e o futuro?

O que está circulando pela rádio peão?

Os boatos são fortes, e dificilmente alguns deles não serão confirmados.

Vamos a eles:

  • Redução de 3% das agências e postos de atendimento.

A justificativa é a redução de custos operacionais. Eu não tenho certeza da quantidade de agências que sobraram depois da primeira onda de fechamentos, que ocorreu de novembro do ano passado prá cá, mas certamente o banco tem mais de 4 mil pontos de atendimento.

Fazendo uma conta rápida, dá prá imaginar o fechamento de mais de 120 agência e postos de atendimento nesta nova onda da reestruturação… mais transtorno para funcionários e clientes.

  • PDV 2017

PDV quer dizer Plano de Demissão Voluntária, que é diferente do PAI (Plano de Aposentadoria Incentivada). No PAI pode sair o funcionário que já está aposentado pelo INSS ou próximo de se aposentar. No PDV pode sair qualquer um que esteja dentro do público alvo.

Resta saber quem é o público alvo… mas o número de adesões esperadas pelo banco é de 3 mil funcionários, dentro desse público.

Certamente o banco definiu critérios para selecionar os funcionários que ele quer fora de lá. Deve ter o critério de tempo de banco, deve aparecer também o pessoal dos bancos incorporados e, claro, muitos critérios subjetivos, a critério dos administradores locais. Vamos ver se sai e como sai…

  • Ampliação do atendimento digital

Com a ampliação de 18% dos escritórios digitais Pessoa Física (PF) e Pessoa Jurídica (PJ), em cidades estratégicas, segundo critérios do banco.

  • Remodelagem no atendimento presencial

Com ajustes nas carteiras PF e PJ, aumentando o número de funcionários nos contatos e salas digitais e redução de comissionados. É difícil entender o que isto quer dizer, só fica claro que o BB quer reduzir o número de comissionados da gerência média (os gerentes de relacionamento)… claro, visando também a redução de custos e cargos.

  • Saiu o boato também da remodelagem do programa de metas (o Conexão)…

Quem trabalha no banco sabe que qualquer “remodelagem” nas metas não vem prá deixar elas mais amenas, pelo contrário… parece que os executivos não estão satisfeitos com os resultados do BB… então vem mais meta por aí.

  • Redução de 25% nas carteiras personalizadas

Com foco no atendimento digital… de novo a mira é voltada para a gerência média. Cortar um quarto dos gerentes de relacionamento é um tiro no galinheiro. Vários deles que perderam a comissão nas primeiras ondas da reestruturação ainda estão procurando um caminho… se isto for confirmado, vão se somar mais milhares de outros gerentes à caça de outro lugar para continuar ganhando a mesma coisa que ganhava.

  • Ampliação dos escritórios MPE, agências digitais e migração de clientes para o Atacado.

Isto já vem acontecendo, mesmo antes do início da reestruturação… só se confirma que este é um caminho sem volta.

  • Extinção de 12 Regionais e 5 Gepes em estados menos expressivos.

As Regionais são as Superintendências Regionais… executivos de alto escalão do BB… quando se chega neles, é que o resto já foi pro buraco. Só que prá realocar 12 executivos em outras áreas do banco não é muito complicado… a gente falava que esse povo quando cai, cai pro lado ou prá cima.

As Gepes são as Gerências Regionais de Pessoas, vinculadas à Diretoria de Gestão de Pessoas (o RH do BB). Aqui já á mais complicado. O pessoal que trabalha nas Gepes estão desacostumados a ser bancários, então pode ser mais difícil encontrarem um lugar prá continuar ganhando a mesma coisa, e também se acostumarem a trabalhar em banco novamente.

Acho que o resumo da ópera é este… acredito que não esteja tudo aí, mas já é um bom indicativo do caminho que os funcionários terão que trilhar neste semestre.

Eu sei que o blog é acompanhado por muitos funcionários e também por muitos que tem o sonho de serem funcionários…. sinto muito… sei que as notícias não são aquelas que ambos os segmentos gostariam de ler aqui, mas é o que temos prá hoje.

Aos funcionários eu desejo que tenham calma, paciência e muito cuidado nas decisões que terão que tomar, caso esses boatos se confirmem e atingirem alguns de vocês. Eu tenho esposa e 2 filhos no BB, e digo prá eles a mesma coisa que digo aqui… eles também dão uma olhada aqui no blog de vez em quando.

Aos concurseiros do BB de plantão, eu só posso dizer que tenham calma e persistência. É mais um vácuo no caminho de um novo edital, mas ele vai sair… um dia vai… só acho que não mais neste ano (caso os boatos se confirmem). Só que não tem como o banco continuar existindo sem novos funcionários… é questão de tempo ok?

Por último, quero pedir desculpa pelo tom e pelos possíveis erros que eu tenha cometido no artigo… é sábado à tardinha, estou acompanhado de um bom copo de um bom whiskey (é o segundo já, acho), e ouvindo Metálica (bem alto).

Fiquem bem… boa sorte e um grande abraço!

31 Comentários

  1. Gabriel

    Ola Marco!
    Tenho a seguinte duvida:
    Um funcionário do BB apos ser aprovado e estar trabalhando pode exercer outra atividade com remuneração?
    Por exemplo um engenheiro poderia ter seu escritório e fazer projetos ou ser um prestador de serviços sendo ele mesmo uma “empresa”?
    Logico que nas horas em que nao estaria trabalhando no bancom

  2. Manoel

    Olá Marcos! Como vai ficar a CEF depois do normativo RH 037? O bancário temporário.

    04 Agosto 2017 – 08:47

    Nova edição do RH 037 abre possibilidade de terceirizar atividade-fim na Caixa

    As representações dos empregados questionam a medida do banco e convocam os trabalhadores a intensificar mobilização contra o normativo

    Depois de anunciar uma reestruturação e a reabertura do Programa de Desligamento Voluntário Extraordinário (PDVE), a direção da Caixa Econômica Federal realiza mais uma ofensiva como parte do processo de desmonte do banco. A empresa divulgou uma nova versão do RH 037, nesta quinta-feira (3), adequando o normativo à Lei 13.429/2017 – sancionada por Michel Temer e oriunda do PL 4302, de autoria do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso –, permitindo a contratação de trabalhadores temporários sem qualquer vínculo empregatício com o banco, por meio de empresas que fornecem mão de obra terceirizada, para a realização de tarefas de técnico bancário.A Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa) vai cobrar do banco a revogação do normativo.

    “Esta nova versão do normativo RH 037 é consequência direta do desmonte trabalhista promovido por Temer com a terceirização irrestrita e a reforma trabalhista. Com esta medida, a direção da Caixa deixa claro que não tem qualquer pudor em precarizar as relações de trabalho na instituição criando o subemprego, com menores salários e sem qualquer direito”, destaca o coordenador da CEE/Caixa e diretor da Fenae, Dionísio Reis.

    O dirigente lembra que o RH 037 já está na sua 21ª versão e sempre foi combatido pelo movimento sindical bancário. “Nos anos 90 e início dos anos 2000, a Caixa trabalhou com muitos temporários, chegando a uma ter uma relação meio a meio com os concursados. Com a assinatura de uma TAC (Termo de Ajuste de Conduta) com o Ministério Público, conquistada após diversas ações judiciais do Sindicato contra a terceirização da atividade-fim, o banco teve de encerrar este tipo de contratação, que foi extinta só em 2006, mas manteve o normativo. Sempre cobramos a revogação do RH 037 em mesas de negociação e, no ano passado, a Caixa alegou que aguardava a regulamentação do trabalho terceirizado em lei.”

    A nova versão do normativo indica que a Caixa pretende não realizar mais concursos públicos para a contratação de novos empregados ou mesmo para substituir bancários que deixaram a instituição por meio dos planos de aposentadoria.

    A contratação de mais trabalhadores é uma reivindicação histórica do movimento nacional dos empregados da Caixa, solução vista como a mais adequada para suprimir a realidade de empregados sobrecarregados nas unidades de todo o país. “A situação já é de sobrecarga e adoecimento nas unidades de todo o país, o que vai se agravar ainda mais com a diminuição do número de trabalhadores. Não vamos admitir que o processo de terceirização seja retomado. Para isso, vamos intensificar as mobilizações pela revogação do RH 037”, afirma o presidente da Fenae, Jair Pedro Ferreira

    O RH 037 não estipula a quantidade de temporários que serão contratados e prevê que o número de contratações dependerá da disponibilidade orçamentária e dos resultados esperados pelo gestor, com base nas determinações da Geper (Gerência Nacional do Quadro de Pessoas e Remuneração).

    “O governo Temer promove um verdadeiro desmonte da Caixa, prejudicando seu papel de banco público. Este normativo é mais uma etapa deste processo, que será discutido com o banco em reunião agendada para o próximo dia 15. Estamos realizando um estudo jurídico sobre a legalidade da nova versão do RH 037, uma vez que temos o entendimento de que a Caixa não pode terceirizar a atividade-fim, compromisso assumido na assinatura da TAC. Além disso, todos os empregados devem estar unidos e mobilizados, junto aos sindicatos e demais entidades representativas, para combater a terceirização irrestrita, defender seus direitos e a Caixa 100% pública”, conclama o coordenador da CEE/Caixa.

    Fonte: Fenae.

    • Oi Manoel,
      Valeu a visita e o comentário.
      Então Manoel, é o que todo mundo quer saber: como fica a situação na Caixa.
      Eu, sinceramente não acredito em concurso na Caixa tão cedo.
      Além do rolo que está na justiça, e enquanto não sair uma sentença, fica tudo parado, tem agora o normativo interno.
      Eu quero acreditar que a atualização do normativo é exatamente em função da aprovação da terceirização irrestrita… não tem como deixar as normas internas em desacordo da Lei.
      Pode ser que seja só isto… mas pode ser que não… já que o normativo existe e está de acordo com a legislação, nada impede que a Caixa adote o que está normatizado.
      Mas isto só o tempo vai responder.
      Por mais que as empresas adotem a terceirização (incluindo a Caixa, o BB, Correios, Petrobrás, etc), não é um processo rápido nem garantido.
      Provavelmente as empresas vão testar, aos poucos, o processo e depois avaliar.
      Dependendo desses “pilotos” é que poderão decidir com mais propriedade, e adotar ou não…
      Só aguardando mesmo. Ninguém ainda sabe como tudo isto vai ficar (arriscaria dizer que nem a Caixa sabe).
      Uma coisa é certa, nenhum banco vai terceirizar toda a sua mão de obra… pelos menos por enquanto, acho muito difícil pensar que não haverá mais concursos.
      É muito provável que eles fiquem mais rareados e com menos vagas, mas desaparecer? Não acredito.
      abraço

      • Felipe

        Marco

        De fato, a Caixa está envolvida com vários problemas , que vão desde denúncias sobre corrupção ou favorecimento ilícito à empresários, agentes públicos ou empresas (FGTS e etc), passando por fase de alta inadimplência até a enorme falta de pessoal…
        O que acredito, é que essas medidas de terceirização fim vem mais para reforçar o quadro de colaboradores da instituição, do que substituir os mesmos em parte ou no todo. É simplesmente pra somar, uma vez que a empresa está com seus recursos humanos muito aquém do necessário.
        Porém, é evidente que com o passar do tempo, haverá cada vez mais redução de funcionários diretos. No entanto, outra questão é que nos ajustes da organização, fica mais complicado por exemplo fechar tantas agências assim , como pode ocorrer em outros bancos. Isso, em virtude das atividades sociais da Caixa.
        Inclusive, penso que o atendimento do “social” nas agências Caixa deveria ser terceirizado.
        A Caixa precisa imediatamente passar por reestruturações, Entretanto, ela está mais limitada nessas ações do que os demais concorrentes. E por consequência, clientes e empregados são os principais prejudicados.
        Essa situação judicial de momento é um claro exemplo disso, pois saindo uma decisão contrária ao banco, a Caixa terá um prejuízo imenso, uma vez que terá que contratar 2000 novos bancários, o que na prática não resolve “nada” o problema de falta de pessoal, mas agrava ainda mais as finanças da companhia. Até, porque novas contratações são caras, e é certo que haverá muita rotatividade entre esses novos e velhos colaboradores. Desses novatos, muitos podem desistir no curto prazo…
        A relação custo benefício não é vantajosa, nem para os atuais funcionários, e muito menos para a empresa.
        Fazer um novo concurso público segue uma linha de raciocínio semelhante ao exposto aqui. Eles não vão arriscar tão cedo, até por ser um processo mais caro, demorado.

        • É isto Felipe,
          A discussão sobre bancos, principalmente os ditos “públicos”, passará por muitas variáveis, que certamente irão mudar radicalmente os bancos que conhecemos até hoje.
          Viveremos um ciclo de mudanças profundas e rápidas… não dá prá saber como será o futuro dos bancos, muito menos dos bancários.
          É neste cenário que nos propomos a discutir se haverá ou não concurso?
          Não dá prá saber nem se teremos bancos, quanto mais bancários!
          No curto e médio prazo, acredito que ainda dá prá torcer, mas lá na frente… sei não.
          abraço e obrigado pela contribuição.

  3. Francisco de Assis

    Olá, sr. Marco Gomes; Como vai?
    Descobri o seu blog ao acaso e, interessei-me por todo conteúdo nele discernido. Sou do Rio de Janeiro, um apaixonado por esse ambiente desafiador, que é o bancário, alinhado a tudo no qual o envolve, dentro das áreas do conhecimento: finanças, economia e pessoas( cultura e comportamento); Identifico-me( MUITO) com a: cultura, estrutura e responsabilidades; que o Banco do Brasil tem para com seus Stackholders, estudo há mais de 3 anos( com muita: disciplina, dedicação e comprometimento com enfoque de plena completude ao futuro certame, ávido por tal, estimo, tão quanto as resoluções tão breve das reestruturações organizacionais e assim, seu edital seja publicado.
    Por conseguinte, ficam meus votos de sucesso aos colaboradores, que aqui o acompanham, aos colegas que aspiram ao próximo edital e ao senhor, que nos mantêm informados, acompanhar-te-ei – seja pelo blog ou/e canal facebook. Forte abraço.

  4. Rodrigo

    Parabéns, precisávamos de pessoas tão bem intencionadas e dispostas a ajudar as pessoas que sonham em entrar no BB.

  5. PEDRO AMERICO MARTINS JUNIOR

    Estou de Férias e volto na segunda quinzena de agosto. Acompanho as notícias pelos grupos de whatsapp e não ouvi nada ainda. Se o Banco quer mandar muita gente embora(10 mil), tem que fazer um PDV bem generoso. Talvez eu sairia, pois tenho mais de 20 anos de BB e não perderia a CASSI se continuasse a pagar a PREVI(Plano 1), como autopatrocínio, até completar os 35 anos. Tenho outro trabalho autônomo fora e dá algum dinheiro, e se dedicar mais tempo, posso me sustentar. Mas tudo é boato.

    • Oi Pedro,
      Valeu a visita e obrigado por sua contribuição… vai que?
      abraço e boa sorte!

  6. Helio Madeira

    Gostaria que me explicassem:
    No crédito imobiliário, existem 2 opções de seguro. Ou Banco do Brasil ou Bradesco;
    Há algum tempo, estão nos obrigando a enfiar cartão ELO nos clientes. Elo era de quem?
    E por penúltimo, os clientes do Banco 237 podem pagar suas contas com cartão de lá nos nossos terminais.
    Já vi isso em várias incorporações.

    • Oi Helio,
      Valeu a visita e o comentário.
      Bom vou tentar responder só sobre o que sei, ok:
      A legislação que regulamenta o crédito imobiliário obriga os bancos a oferecerem mais de uma opção de seguro de seguradoras diferentes (coibir a venda casada), por isso o BB oferece o seguro do Bradesco, e eles lá oferecem o do BB para os imobiliários deles.
      O cartão ELO é uma associação do BB com o Bradesco, assim como muitas outras que eles tem, algumas já há algum tempo.
      Com relação ao pagamento de contas com cartão de outro banco nos terminais do BB eu não sabia… nunca vi.
      E na sua última observação, sobre incorporações… não sei se entendi direito… você está supondo uma possível incorporação do BB pelo Bradesco?
      Eu i nestes últimos dias especulações sobre uma possível fusão entre o BB e a Caixa… não sei se procede, mas é um assunto que já ronda os 2 bancos há muitos anos, e é bem possível que possa acontecer, a continuarmos sob a égide dos neoliberais de plantão.
      Se não consegui esclarecer seus questionamentos, por gentileza retorne com mais informações.
      abraço

  7. Douglas

    Como será que fica o edital 2015/001 que vence dia 23 de dezembro, com isso?

    • Oi Douglas,
      O pessoal tem perguntado pela solução do concurso de 2015.
      Pois é, não tem nenhuma notícia.
      Acredito que pro 2o semestre alguma coisa deve acontecer, pelo menos pro pessoal que passou nas vagas imediatas (imediatas daquela época hem).
      Tem que aguardar, infelizmente a gente não tem acesso a essas informações.
      abraço

  8. Fábio

    Boa noite Marco!
    Parabéns pelo artigo, acompanho seu site à um bom tempo e valorizo bastante as informações passadas por você.
    Infelizmente as notícias do BB não estão sendo nada agradáveis pra quem trabalha no banco e muito menos pra quem gostaria de estar lá.
    Mas acredito naquela luz no fim do túnel, que ainda esse ano as coisas vão melhorar.
    Abraço!

    • Oi Fábio,
      Valeu a companhia… pois é, tá bem complicada a situação…
      Espero que a luz no final do túnel não seja um trem!!!
      As coisas vão melhorar, sim.
      abraço

  9. Ana Cláudia de Oliveira Malta

    Olá concordo com o Bruno Gomes, o ambiente está muito tenso, só se fala em PDV, principalmente entre os funcionários que vieram do BNC, como se fosse possível pinçar quem vai sair.
    O que tenho notado é que a estrutura toda ainda não se recuperou dos efeitos do PEAI, existem cidades com agências sobrecarregadas e outras que continuam ás moscas, outra questão é a velocidade da aderência aos serviços digitais, pois ter senha de atendimento digital gravada e applet instalado não significa que esse cliente vai efetivamente aderir ao atendimento digital e penso ser muito mais uma questão de confiança do que de faixa etária do público.
    De certo mesmo só o fato de que está todo mundo perdido sem saber o que a empresa quer e em um ambiente assim fica difícil trabalhar.

    • Oi Ana,
      Valeu passar por aqui e deixar sua contribuição.
      Olha, eu acho que o alvo é mesmo o pessoal do Besc, BNC e demais incorporados.
      Desde a incorporação se fala nisto em pequenos círculos… eu tinha contato com o pessoal que trabalhou diretamente nas incorporações, e desde aquela época se imaginava que mais cedo ou mais tarde eles seriam a bola da vez.
      De lá prá cá nada de concreto aconteceu.
      Vamos ver…
      E quanto a “pinçar” quem vai sair (ou quem o banco quer que saia), isto já aconteceu antes, então não é novidade, e pode acontecer de novo.
      Eu sempre fico pensando com a cabeça de dono do banco… pense se você fosse a dona do BB… o que você faria?
      Tem muita gente no banco que não produz o que ganha… não quero generalizar nada, nem rotular ninguém, mas tem… você não acha?
      Eu, se fosse dono do banco, ou de qualquer outra empresa, colocaria este pessoal que está acomodado em sua zoninha de conforto, só aguardando dia 20, na parede… e cobraria resultado deles também… ou, abre a vaga prá quem está a fim de ajudar o banco e os outros funcionários a dar os resultados cada vez mais cobrados e difíceis.
      Sei lá… opinião cada um tem a sua… mas eu preferiria ter gente engajada trabalhando comigo, do que pendurada nos outros.
      Quanto a essa instabilidade toda que vocês estão vivendo, eu passei por isto quase a vida toda… perde comissão, ganha comissão, fecha prefixo, se muda prá outra cidade, fica 3 anos esperando que seja comissionado de novo… tudo isto eu vivi, e sobrevivi… claro, é um stress sem tamanho, mas tudo passa e o banco acaba ficando. Tem que manter a cabeça no lugar e continuar tocando o barco.
      abraço

      • Ana Cláudia de Oliveira Malta

        Olá Marco concordo com você, mas pessoas acomodadas existem tanto entre os oriundos fãs incorporações como entre os que já eram BB.
        O que noto é que todas as vezes que o Banco lança PDV ou PEAI visando um público específico acaba perdendo também funcis que ele pretendia manter.
        De certo só mesmo as metas, que estão cada vez mais difíceis de serem atingidas, e o fato de que trabalhar com o clima atual é muito desgastante, o resto é uma incógnita.

        • Oi Ana,
          Sim, claro… tem gente acomodada no BB (e em outras empresas também)… não quis dizer que eram apenas do pessoal incorporado não, pelo contrário.
          E, sempre o banco perdeu talentos com esses planos de desligamento. Nos primeiros então, saiu muita gente boa, depois o banco deu uma acordada e começou a restringir a saída.
          Por fim, as metas… ah, as metas… essas não tem jeito… sempre serão maiores, mais inatingíveis… e sempre serão mesmo.
          O que anima (um pouco) é que nada disso será prá sempre…
          abraço

  10. Rodrigo Assis

    Não tá fácil pra quem está dentro, sou de Rondônia e a coisa por aqui apertou ao extremo. Engraçado que áreas como o Cenop, Gepes e a própria Dicre sofreram um impacto tremendo e a DITEC já foi ao contrário, abriu processo seletivo e selecionou trezentos para trabalhar, o que mostra outra cara do banco, foco total em tecnologia. E o que falar do espírito público? até ri nesse fechamento de semestre quando tivemos que sacar a verba QVT para pontuar no conexão. kkkk. Verba QVT? só pode ta de sacanagem ao falar da qualidade de vida no trabalho. Parabéns pelo texto e vamo que vamo de sabadão, um vinhozinho gelado aqui também para dar uma acalmada nesse sufocado final de semestre. E só um dado aqui, diante de todo o caos vivido, o estado de Rondônia bateu a meta recorde do estado de 1 bilhão em agro… No artigo ai não falou, mas segundo mensagem com essas informações, o banco aumentará a participação do capital em agro, enquanto o governo irá diminuir significativamente. abraço.

    • Oi Rodrigo,
      Valeu a visita e o comentário.
      Tem mais algumas coisas que estão rolando nos boatos, inclusive o aumento da participação do Bb no agro… e mais algumas coisas.
      Não citei tudo aqui, porque tem bastante gente que frequenta o blog que não são funcionários, e não iriam entender direito do que se trata (essa do agro, por exemplo), então deixei passar.
      Cara, só resta continuar torcendo prá que a situação do banco e do país retornem prá um caminho mais decente.
      Valeu, abraço.

  11. Tiago

    Olá Marcos! Você sabe alguma coisa sobre o concurso que ocorreu para o nordeste em 2015? Foram 870 vagas de cadastro de reserva mais 95 vagas “imediatas”, porem nenhum convocado ate a presente data, um verdadeiro descaso… Fui aprovado no cadastro e estou na mesma situação angustiante de vários outros colegas que se esforçaram e correm o risco de não serem convocados. O que pode ser dito a respeito desse concurso? Agradeço a atenção, desde já.

    • Oi Tiago,
      Acho que já respondi por e-mail… de qualquer forma, copio aqui:
      Oi Tiago,
      Desculpe a demora no contato, é que a coisa está meio complicada aqui…
      Vamos lá… Se não me engano este concurso tem validade até o final do ano, é isto?
      Olha, é bem possível que o banco chame os aprovados até lá… ainda existem problemas com a dotação de várias agências, principalmente nas do interior.
      Quanto ao cadastro de reserva, vai depender… da micro que você está inscrito, de quando o banco vai começar a chamar, da sua classificação no CR, e de outras variáveis.
      Eu, sinceramente, acho pouco provável que o banco chame todos do CR, se sua classificação for ali meio na boca das vagas imediatas, dá prá alimentar uma pequena esperança, e torcer.
      Já se sua classificação não é tão boa, acho que é melhor tira d acebeça (por enquanto) e se preparar para outros concursos, inclusive do BB. Outro concurso vai pintar, se não no finalzinho deste ano, quem sabe prá 2018.
      Abraço

  12. Bruno Gomes

    Ta tensa a parada aqui dentro. E os colegas estão cada dia mais desesperados. Porém duvido que o banco lance um PDV pra tão pouca adesão. Creio eu que deve ser pra pelo menos uns 8 mil. Pra um lado é bom e pra outro nem tanto. Mas vamos que vamos

    • Oi filho,
      Legal você comentando aqui…
      Eu sei que a coisa não tá fácil.
      Não dá prá saber o que o banco tem em mente… sempre achei que PDV era prá botar prá fora quem ele não quer mais trabalhando lá, diferente do PAI.
      Por isto acho que vai deixar muita coisa na mão de administrador, e incluir o pessoal incorporado… não creio que chegue nos 8 mil não.
      Vamos aguardar… tem gente falando que segunda-feira já sai alguma coisa, e outros falando que até o dia 10.
      Aguardar…não tem o que fazer.
      beijo… prá Anna também e prá minha princesinha.

    • Rodrigo Assis

      Concordo plenamente, menos de 6 mil não é não. Nessa última reestruturação teve muita gente na região norte (acredito que nas demais também) que perderam função e conseguiram a incorporação por habitualidade, ou seja, um gasto na folha que estava previsto diminuir e não aconteceu. Quem será os primeiros a serem educadamente convidados a sair do banco agora? hehe.

    • Hebert Sampaio

      Falam também em terceirização, tem boatos de que serão 40 mil demissões: 30 mil para terceirizar e 10 mil para enchugar a estrutur. Destes 30 mil maioria, dizem, é do PSO, mais especificamente o processamento de envelopes.
      Mas são só boatos
      Há também a diminuição da UOP…
      Bom, se formos colocar todos os boatos aqui, será outra matéria….
      😀

      • Oi Hebert,
        Valeu a visita e o comentário.
        Não sei, acho que esses números são exagerados.
        Agora com o questionamento da terceirização, muita água vai rolar ainda.
        Eu acho até que o banco já poderia ter terceirizado muita coisa e não fez, mesmo antes dessa lei maluca.
        Como você diz… são só boatos… mas pode estar certo que mais dia menos dia, alguma coisa nesse sentido vai acabar acontecendo… é inevitável.
        abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *